terça-feira, 10 de setembro de 2013

LIFAN X60 - AVALIAÇÃO




Assuma sua própria operação de vendas, abra novas concessionárias, treine melhor sua rede e lance novos produtos. Este é o passo-a-passo da Lifan para apagar a má imagem que ficou depois de sua entrada com o pé esquerdo no país. Ousada, a marca trouxe o X60, primeiro dentre os novos modelos que pretende trazer para o Brasil, para concorrer no badalado segmento de SUVs compactos. A ideia é subir de categoria para subir também de conceito.



Parte das críticas aos modelos 320 e 620 tinha a ver com a falta de personalidade dos carros. O X60, apesar de guardar certa semelhança com o Hyundai Santa Fe antigo na parte dianteira (ele foi várias vezes confundido), é bonito, tem identidade própria e design bem resolvido. Com dimensões muito próximas às do Duster e do Tucson (4,32 m de comprimento, 1,79 m de largura, 1,69 m de altura e 2,60 de entre-eixos contra 4,31 x 1,82 x 1,69 x 2,67 do Renault e 4,32 x 1,83 x 1,73 x 2,63 do Hyundai), ele é maior do que aparenta nas fotos e impõe respeito no trânsito.



Mas beleza não põe mesa, especialmente quando se trata de carros vindos da China. Se só a nacionalidade já gera desconfiança por aqui, ter um histórico ruim torna as coisas mais difíceis: o dever de casa precisava ser muito bem feito. Com o X60, a Lifan ofereceu um carro bem mais equipado que todos os concorrentes na mesma faixa de preço e até que a maioria dos chineses vendidos aqui. A lista é extensa:

- Ar condicionado;
- Direção hidráulica com coluna regulável em altura;
- Vidros elétricos com one-touch para descer (os 4);
- Retrovisores externos elétricos com piscas de led integrados na carcaça;
- Travas elétricas e alarme com comandos na chave-canivete;
- Bancos, portas e volante revestidos com material ecológico imitando couro;
- Sistema Isofix®;
- Sistema multimídia que agrega rádio, CD/MP3/WMA/DVD player com entrada USB, SD card e auxiliar, GPS e Bluetooth® com visor LCD touch-screen integrado ao painel e comandos no volante;
- Sensor crepuscular e de estacionamento com câmera de ré;
- Luzes diurnas e lanternas traseiras de led;
- Faróis principais com ajuste de altura e "Light My Way" (desligamento automático após 30 segundos);
- Faróis auxiliares de neblina;
- Rodas de liga leve com aro de 16 polegadas;
- Airbag duplo;
- Freios a disco nas 4 rodas, com ABS e distribuição eletrônica de frenagem;
- Kit de ferramentas.



Não há opcionais. Os R$ 52.777,00 que custa vão parecer bem pagos, se você considerar que Duster (Expression 1.6 16v, R$ 53.090,00) e EcoSport (S 1.6 16v, R$ 54.800,00) trazem o convencional ar-direção-vidros-travas-retrovisores mais airbag duplo e ABS. Mesmo se comparado ao conterrâneo Tiggo (R$ 51.990,00, recentemente remodelado) o X60 leva vantagem por ser mais espaçoso e equipado. Mas o brasileiro, exigente que é, dá peso igual tanto para a lista de equipamentos quanto para a forma como o carro se comporta no dia-a-dia. É nesta hora que o Lifan dá suas deslizadas.




O X60 é bem acabado internamente, ainda que não seja perfeito. O interior é predominantemente claro, sendo somente a parte superior do painel em tonalidade escura. Isso, e mais os bancos e parte das portas revestidos em material ecológico que imita couro, inspiram requinte. Os instrumentos principais têm layout minimalista, mas o velocímetro digital se encarrega de complementar o toque de modernidade do interior. O Lifan só deixa a desejar quanto às maçanetas internas de abertura das portas, que parecem frágeis assim como algumas peças plásticas aqui e ali. Os vãos entre portas e batentes, e também no capô, são irregulares; a qualidade de montagem deveria ser melhor.





Espaçoso, o Lifan X60 leva facilmente 5 ocupantes, na frente ou atrás - o espaço no banco traseiro é surpreendente. Mas o porta-malas de 405 litros é pequeno para um carro deste porte e a tampa traseira é pesada além da conta. Estranhei ainda a enorme quantidade de espuma moldada preenchendo o espaço ao lado do estepe, abaixo do assoalho. É de se pensar se não seria melhor aumentar o espaço no porta-malas e disponibilizar um estepe mais fino, de uso temporário. Pelo menos há um kit básico de ferramentas encaixadinho e bem organizado ali, bem como macaco, chave de roda e triângulo. E apesar de suas dimensões, estacionar não é difícil: a frente é alta e permite observar bem os limites do carro, enquanto a traseira se livra de pancadas graças ao sensor de estacionamento (cujo bip-bip é suave e não incomoda) e à câmera de ré, que mostra imagem suficientemente clara no LCD do painel.





Prático, o X60 pode carregar objetos nas portas dianteiras (que têm porta-garrafas) e traseiras, no painel (com 2 porta-copos mais 2 nichos para celulares), no teto (com porta-óculos), no apoio de braço entre os bancos dianteiros (com boa capacidade), no porta-luvas (que é grande), nos encostos dos bancos dianteiros (que têm bolsas) e no banco traseiro (que tem apoio central com porta-copos). A ergonomia também é boa, de forma geral, mas há falhas. A disposição dos controles principais permite que sejam utilizados sem malabarismos; tudo está ao alcance da mão. As funções da central multimídia podem ser acessadas pelo LCD touch-screen, por botões que o circundam ou pelos comandos no volante. Faróis, limpadores, vidros, retrovisores, ar condicionado, tudo é facilmente controlado. A alavanca do freio de mão, porém, fica muito próxima à alavanca de câmbio, dificultando seu acionamento. Outra coisa mal planejada é o ajuste da coluna de direção, um pouco pesado e com pouca amplitude. Finalmente, senti falta de um barulhinho para as luzes de direção no painel, absolutamente silenciosas. Em algumas curvas mais abertas acabei esquecendo a alavanca, que não retornou sozinha, acionada e a seta ligada.




O motor do X60 é moderno. Com comando variável de válvulas (VVT), tem 4 cilindros em linha, 1.794 cm³ de capacidade volumétrica e 16 válvulas, mas bebe só gasolina. Produz 128 cv de potência a 6.000 rpm e 16,8 kgfm de torque a 4.200 rpm. A média de consumo ficou em 9,86 km/l na cidade e 11,15 km/l na estrada. Conosco, ele fez de 0 a 100 km/h em 13,6 segundos e retomou velocidade em 9,2 (40 a 80 km/h em 3ª), 14,0 (60 a 100 km/h em 4ª) e 19,4 (80 a 120 km/h em 5ª) segundos, respectivamente. Apesar de o RACIONAUTO não contar com instrumentos aferidos, o GPS do carro nos ajudou a conferir as velocidades apontadas, o que aproxima bem esses dados da realidade.



Sobre a força do motor, há ainda algumas observações interessantes. Primeiro é que, apesar da relação peso x torque não parecer muito favorável (ele pesa 1.330 kg), a força disponível pareceu ser sempre maior nas retomadas do que os números afirmam. Isso poderia ser explicado, a princípio, pelo gráfico da curva de torque: após o pico, a 4.200 giros, a queda de força até o corte do motor é pequena. Mas estranho é que a revista Quatro Rodas deste mês, no comparativo entre o X60 e o Tiggo, publicou números de torque diferentes dos oficiais da Lifan, com 17,1 kgfm. A Lifan, por sua vez, se defende afirmando que os números divulgados são obtidos em dinamômetro, descontadas perdas mecânicas.




A dirigibilidade, porém, não é das melhores; falta equilíbrio. A direção hidráulica poderia ser mais leve em manobras, além de ser anestesiada em velocidade. O câmbio, por outro lado, trabalha bem em qualquer situação, com engates macios e fáceis. Pena que a embreagem é pesada demais, mesmo para um SUV. A suspensão fica no meio termo: independente nas 4 rodas, McPherson na dianteira e multilink na traseira, é robusta e encarou com destreza e suavidade os trechos de chão batido com algumas "costelas-de-vaca" no distrito de Joaquim Egídio, arredores de Campinas (SP), por onde passamos para fazer as fotos. A estabilidade na terra também é boa, dentro do esperado para um carro com centro de gravidade alto. No asfalto, ainda que aderne muito nas curvas, ele não perde o rumo, permanecendo neutro dentro de seus limites. Em velocidade não há grandes oscilações da carroceria e as frenagens - muito boas, por sinal - são feitas sem qualquer desvio de trajetória. Parte do mérito vai para os bons pneus da marca Continental, com medida 215/65 R16, mas é certo que os discos nas 4 rodas e o ABS fazem bem o seu trabalho.




O X60 não é um carro particularmente silencioso. Na cidade, em velocidade moderada, o barulho do motor não chega a incomodar. Mas o pouco revestimento acústico torna o X60 um carro barulhento, especialmente na estrada. Isso é potencializado pelos ruídos aerodinâmicos e pela ressonância que se forma dentro do cofre do motor; sobra espaço ali. Além do mais, a unidade avaliada tinha uma fonte de ruído constante vinda do mecanismo de retração da cobertura do porta-malas. O áudio do sistema multimídia consegue amenizar um pouco as coisas, contando com gráficos de equalização que podem ser ajustados com ampla faixa para cada frequência disponível, e também boas e bem distribuídas saídas de áudio. O problema é que, para driblar os ruídos externos, é preciso ouvir música com volume um pouco alto, o que cansa rápido.




De forma geral, aliás, acessar todas as funções do sistema multimídia é fácil. Mas em alguns aspectos ele é temperamental. Enquanto rodava na terra, o sistema boicotou meus pedidos para permanecer tocando CD, insistindo em mudar para o rádio. E só precisei escolher um CD porque no segundo dia da avaliação o pendrive com músicas que espetei no painel superaqueceu e morreu. Outro problema que encontrei foi a dificuldade em memorizar os ajustes para diferentes gadjets. Para atender o telefone via Bluetooth® era sempre preciso aumentar muito o volume da ligação, ainda que o áudio estivesse em volume normal. O GPS, por sua vez, só funcionava a contento com o rádio ou outra mídia ligada; foi impossível habilitar só a narração da moça.





Alguns outros problemas apontados durante a avaliação do X60, mesmo pontuais, causaram incômodo e certa preocupação. O marcador de combustível, por exemplo, funcionou de forma imprecisa. Não houve um abastecimento sequer onde o ponteiro tenha subido completamente. O vidro do lado do motorista, por sua vez, estava desalinhado e subia ligeiramente fora da canaleta. Para fechá-lo corretamente era preciso acionar o mecanismo com a mão esquerda e apoiar com a direita. E esse é mais grave: o motor demorou a pegar várias vezes, com o carro frio ou quente, sendo preciso várias tentativas nessas ocasiões. Abastecido sempre no mesmo posto e mesma bomba, não se pode culpar a gasolina.




A garantia é de 5 anos. No entanto, a atual estrutura da Lifan, muito pequena, pode afugentar o comprador: são apenas 26 concessionárias e 20 oficinas autorizadas no país. Mesmo a cidade de São Paulo só tem 1 concessionária e 2 oficinas autorizadas. Em Campinas, onde o X60 foi avaliado a maior parte do tempo, não há nem sequer um show-room; talvez por isso ele tenha chamado tanto a atenção. A Lifan divulgou, na ocasião do lançamento do SUV em maio, a intenção de aumentar sua rede para 60 concessionárias autorizadas no Brasil até o fim deste ano, especialmente nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste. É certo que o modelo já causa interesse: foram 674 unidades comercializadas entre maio e agosto, mais que as 518 unidades do Chery Tiggo - que conta com 100 concessionárias espalhadas por todo o país. Se a Lifan conseguir concretizar os seus planos de expansão, as 11 mil unidades que pretende vender em 2013 não parecerão um alvo tão distante. Ainda assim o X60 é, por enquanto, opção somente para quem não tiver problemas em se deslocar muito para revisões e eventuais consertos.

24 comentários:

  1. Estou pesquisando já faz dois meses sobre esse veiculo para puder tomar decisão de comprar um carro deste. Confesso que a minha grande indecisão está no barulho que invade a cabine, pois eu Não suporto intensidade de barulho elevada por muito tempo. A Pergunta seria se haveria de alguma maneira como reduzir a invasão deste barulho nos modelos atuais? Com aumento da assoalha mesmo que for pagar um pouco mais para melhoria acustica? acho que esse ponto vai pesar quanto à minha decisão.
    abs
    Reportagem muito mais objetivo de que todos outros que já li na mídia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Kocc. A princípio, não há qualquer opcional ou serviço na concessionária que preveja a redução do nível de ruído interno do X60. Acredito que seja interessante você pesquisar nas próprias concessionárias; talvez os consultores da Lifan possam lhe apresentar uma alternativa. Um abraço e boa compra!

      Excluir
    2. Também estou muito interessado em adquirir um X60 no ano que vem mas essa questão do isolamento também me preocupa então pesquisei na internet e achei essa empresa que trabalha com isolamento acústico de carros

      http://nilloruidos.blogspot.com.br/p/isolamento-acustico.html

      Excluir
  2. Trabalho em uma concessionária Lifan no RIO DE JANEIRO.
    Estamos vendendo muito esse carro até o momento sem problemas.
    Ótimo carro!

    ResponderExcluir
  3. Foi a melhor avaliação que lí sobre este carro até hoje. Muito bem escrita, completa e equlibrada. Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Estou comprando um X60 mas confesso que estou com receio...não conheço carros e até agora não tenho nenhum amigo que comprou para dar sua opiniao. Tenho lido comentários na internet,mas só de poucas pessoas que o adquiriram e que estão com ele com pouca kilometragem...não dá para saber se é um bom carro pq muito pouco rodado e não aparece defeitos nesse meio tempo(salvo exceções). Também não sei o consumo dele. Gostei muito da avaliação feita aqui. Estou menos preocupada. obrigada.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela avaliação que fizeram , muito objetiva e franca ! Estou interessado neste carro mas me preocupa a falta de informações seguras dele no Brasil.Gostaria de saber mais sobre como é a sua venda e qualificação na própria China e outros países em que é comercializado ?

    ResponderExcluir
  6. Comprei um em agosto, e nada a reclamar, moro em Santos, S.P., e já subi a serra diversas vezes e cheguei até 150 km sem problemas. Até agora nora 10.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá sou de Santos e comprei um x60 e estou tirando hoje da concessionaria. Gostaria de saber seu como dizem o ponteiro do combustível é incerto! E tbm. se vc. desbloqueou o multimidia para pegar tv. Obrigado.
      Silvio C.
      e-mail: sciocler@hotmail.com

      Excluir
  7. Comprei o carro ontem, fiz alguns testes
    O carro é bom, acelera bem, o ruído dele nem é tão forte assim, é bem isolado e o motor é silencioso.
    Mas realmente o medidor de combustível está marcando errado a gasolina ou demora para medir ..
    Ex - Liguei o carro hoje e ficou com aviso de tanque vazio, sendo que coloquei 60 reais ontem....... quando cheguei no trabalho ele subiu um pouco..

    ResponderExcluir
  8. Comprei um, pegarei daqui a uns 15 dias, desisitir de comprar a duster tech road, to ancioso pra pegar a nave. rsrsrs

    ResponderExcluir
  9. Para quem já possui o Lifan X60 como está o consumo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu com 500 km, fez 7 km/l, fiz a conta no papel e conferi com as informações do GPS e bateram.

      Excluir
  10. ÓTIMO CARRO FIZ TEST DRIVE EM DUAS OPORTUNIDADES. MACIO E GOSTOSO DE DIRIGIR

    ResponderExcluir
  11. Tbm estou com medo de comprar o x60, existe fabricando Brasil? Como é a manutenção, exemplo precos da peças... Enfim que puder me ajudar ficarei grato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pode ficar tranquilo, o carro é bom, estou com o meu a apenas um mês, rodei 1000 km , a primeira média ficou em 11,25 km/l , a segunda já foi em 10,7 km/l , estou adorando o carro, aqui em Florianopolis tem uma ccs, e emplacam muitos x60 na região. Comprei o veículo sem fazer test drive, somente por indicação, Meu carro anterior era um Sandero 1.6 completo, com certeza a troca valeu muito a pena, no quesito conforto, beleza e custo x beneficio, no primeiro momento também tinha o mesmo receio que todos, mas sem dúvidas nenhuma, que eu compraria novamente, se for o caso. Um detalhe que talvez eu não tenha gostado foi... como vivo na capital o carro é ótimo, mas fui até uma àrea rural a 130 km de Florianópolis, cidade de Anitápolis, lá tinham alguns morros que o carro pediu muita marcha, pois é um carro de 1300 kgs, com um motor 1.8, acho que poderia ser um pouco melhor, mas em 2015 parece que a Lifan estará lançando um 2.0 com câmbio automático de 6 marchas, que deve suprir está falha, que para mim, não fez muita diferença, pois não vou muito para esses lugares, e como disse anteriormente, sou da capital e aqui o carro é excelente, com porte e economia. RECOMENDO

      Excluir
  12. Fui fazer um teste drive e percebi que o freio faz um barulho de tipo um assobio quando se pisa nele. Ele parece ser do tipo esponjoso. Esse problema tem no de vocês? O freio funciona bem mesmo com esse barulho? O carro era 2014

    ResponderExcluir
  13. Não consigo configurar o bluetooth do meu X60 vip com o meu celular Samsung Galaxy SIII mini. Ele conecta e desconecta, não atualiza a agenda. Alguém sabe o que pode ser ? No mais o carro está perfeito.

    ResponderExcluir
  14. O meu Talente 2014/15 preto é o carro mais lindo que vi e nem adianta as más línguas dizerem que comprei um "xing ling"...pura inveja, estou com ele ha um mês e não me arrependo de ter comprado e assim que puder pego ele automático...aí sim tá tudo certo.

    ResponderExcluir
  15. Eu tenho um na cor verde a 6 meses o carro é perfeito

    ResponderExcluir
  16. Gostei muito das informações . Para decidir comprar me interessa resolverem o ruído interno.
    Uma empresa que trabalha reduzindo ruídos em veículos conseguiria resolver bem o problema?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Clodis. Talvez consiga, mas você precisa considerar 3 coisas: 1) material fonoabsorvente pode gerar superaquecimento de certos componentes se for mal instalado, com possibilidade ds falha ou quebra dos componentes, e até acidentes decorrentes; 2) certos materiais fonoabsorventes têm alta densidade e, colocados em excesso, vão aumentar a massa do carro além do razoável, prejudicando o desempenho; 3) é sempre preciso verificar a perda de garantia a partir da desmontagem de peças e/ou instalação de itens não homologados pela marca.

      Excluir
  17. Tenho uma x60 aqui em Maceió. Péssima aquisição, consumo 5 km/L absurdo. falta de assistência aqui
    na revendedora de Maceió. Tenho dentre vários problemas, a infiltração no para brisa, não conseguem resolver, alto consumo, desvalorização absurda. Péssimo carro.

    ResponderExcluir
  18. Efetuei a substituição da bateria do meu lifan x60 e o sistema multimídia ficou travado. Alguém sabe me informar qual o procedimento para destravá-lo???

    ResponderExcluir