segunda-feira, 5 de março de 2012

JAC J6 – TESTE DE 10 DIAS


Foto: Maximiliano Moraes

Vinte minutos. Foi esse o tempo gasto pelo consultor da JAC Motors da Av. Barão Homem de Melo, em Belo Horizonte, para preparar a JAC J6 que foi emprestada ao RACIONAUTO para mais um Teste do dia-a-dia. “Ela está um pouco suja, gostaríamos de ‘bater uma água’ nela antes de lhe entregar. Também está sem combustível. Vamos colocar um pouco aqui e lhe dar um voucher para você abastecer no posto com o qual temos convênio. Pode esperar?” – perguntou o consultor. Neguei a ducha, não achei necessário, mas aceitei o combustível (por razões óbvias) e agradeci. Essa cordialidade mostrou o nível de atenção da rede, que tem sido comprovado tanto por clientes quanto jornalistas. Ponto para a JAC.



Foto: Maximiliano Moraes


3 respostas sobre a J6


Antes tivesse aceitado a oferta do colaborador da JAC. A J6 estava realmente bem sujinha. Para melhorar a aparência da minivan, levei-a até um posto para uma ducha. Mal saí do carro, o dono de um Idea Adventure que tinha parado para calibrar os pneus me abordou.


Bonita, né? Já tinha lido sobre ela, mas nunca tinha visto uma ao vivo. É chinesa mesmo?


A pergunta é meio retórica, mas compreensível. Produtos chineses costumam ter aparência genérica, despersonalizada e mal acabada. Isso não acontece com a J6. Projetada no centro de design da própria marca em Turim, Itália, a minivan apresenta um design fluido e bem pensado tanto na frente quanto atrás. A intenção não foi causar alvoroço, mas sim uma sensação de modernidade e qualidade, no que a marca foi bem feliz. Percebe-se também uma montagem bem-feita, com vãos pequenos e regulares e portas que se fecham com facilidade e o barulho abafado típico de carros mais luxuosos. O interior bem acabado, com os bancos de couro desta versão, a parte superior do painel revestida de material emborrachado, o volante multifuncional também revestido em couro, os mostradores grandes e de fácil leitura, e o console central em tom prateado ajudam a consolidar a boa primeira impressão.


Foto: Maximiliano Moraes


É cara?”


Pare para pensar: quando você compra um carro, não fica procurando outros iguais no trânsito? Esse também se tornou um de meus principais passatempos desde que o RACIONAUTO pegou a minivan da JAC. Já é considerável a quantidade de modelos chineses em BH, mas ainda poucas J6 – provavelmente pelo alto preço do carro, mais de R$ 63 mil nesta versão (Diamond). O consumidor se acostumou a encontrar produtos chineses a um preço muito abaixo da média; por este motivo e também por ser um produto relativamente desconhecido do grande público e sem tradição no mercado, a J6 pode parecer realmente cara. Mas a JAC tem trabalhado para mudar esse quadro, divulgando amplamente seus produtos e facilitando o acesso aos mesmos inclusive pelos blogs, que geralmente têm uma abordagem mais pessoal e menos técnica. De todas as formas, pelos que ela entrega este parece ser um valor justo: muitos equipamentos de série, bastante espaço, boa dirigibilidade e um design bem mais moderno que as principais concorrentes atuais (Nissan Grand Livina e Chevrolet Zafira) ou futuras (Chevrolet Spin e Renault Lodgy).


Foto: Maximiliano Moraes


E aí, você acha que vale a pena?


Desde a primeira vez que o RACIONAUTO dirigiu a J6 (veja a matéria clicando aqui), dissemos que a minivan tem atributos suficientes para conquistar o consumidor. Mesmo com preço acima da média dos demais chineses do mercado, o custo x benefício ainda é bom e aumenta com a garantia total de 6 anos e a política de preços fixos para revisões. Vimos alguns defeitos (motor ruidoso e aparentemente subdimensionado para o peso do veículo, direção muito leve em alta velocidade) e boas qualidades (excelente suspensão, sensação de solidez e os já citados muitos equipamentos), mas só ficando com ela por mais tempo – como o RACIONAUTO está fazendo agora – poderíamos responder com precisão. Peguei então o endereço de e-mail do interessado dono do Idea e, além de indicar o blog, me comprometi a enviar um e-mail com minha resposta.


Foto: Maximiliano Moraes

7 comentários:

  1. Juliano Perdigão5 de março de 2012 13:52

    Arrisco a dizer que enquanto esses Chineses não ampliarem sua rede de concessionárias e assistências, os consumidores ai da ficarão um pouco receosos com esses veículos. Não basta ser potente, bonito e barato, tem que ter pós-venda, e isso já estamos carecas de saber não é!?
    Aposto sim que eles podem "roubar" uma boa fatia desse mercado brasileiro sedento, mas enquanto essa expansão não acontecer, fica fácil pra Fiat, VW e GM manterem a briga lá em cima boa!!

    ResponderExcluir
  2. Eu vou te dizer que estou adorando o carro!! Estou fazendo algo em torno de 14 ou 15km/l na estrada com ele.

    Na cidade esta ficando algo em torno de 9km/l. Uma coisa que as pessoas esquecem é que o carro não é para ter pegada esportiva. É para ter conforto e segurança para minha familia. As retomadas e acelerações são mais do que satisfatórias com ele. Até por que se pisar ele bebe sim!!

    E pos venda eu vou te dizer que tem e de sobra!!!!!!! Nunca fui tão bem atendido. E tenho que dizer, todos os problemas que tive, todos foram solucionados sem nenhum questionamento. Coisa de levar o carro de manhã e sair 2 horas depois com ele arrumado!! Nada de falta de peça ou outros problemas.

    O carro entrega o que promete e chama MUITA atenção, não tem quem não fique olhando para o carro!!

    Estou super satisfeito com a compra, ainda mais por ter ganho roda 17 e banco de couro, alem de emplacamento, pelicula e tapetes personalizados. Com certeza a melhor compra que já fiz em muito tempo!!

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andre, me ensina a fazer 9/1 com ela por favor!! :)
      A minha não passa muito de 8.
      Tb estou satisfeito, apesar do consumo.
      Sds!

      Excluir
  3. Estou comprando um, espero ter as mesmas impressões do André

    ResponderExcluir
  4. Estava para comprar uma! É uma tentação!!! Carro confortável e muuuuiiiiito bonito. O preço, pelos acessórios, não estava tão elevado. Na hora de dar o sinal... surpresa! Fui conversar com minha corretora para refazer o cálculo do seguro contra roubo, pois tenho um voyage assegurado pela mesma empresa. Acontece que esta corretora nunca tinha cotado um J qualquer coisa. Então, ela me indicou o telefone de uma amiga que trabalhou quase um ano na JAC, na época do boom! Ela me alertou que o programa de revisões somente valia para o J3 E o J3 Turim, pois havia cansado de pedir aos seus 'chefes' uma posição sobre os outros carros. Também disse que o carro, após uso, parecia escola de samba de tanto barulho! Agora, fico sem saber o que fazer! Já havia me apaixonado pelo carro e estava pronto para comprá-lo. Alguém pode opinar? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Digamos que pedir informações à uma ex-funcionária não é muito aconselhável, pois perde-se a isenção, devido ao ressentimento.
      Eu tenho um J3 com 15.000 km e nunca tive problema nenhum, estou pensando em trocá-lo por um J6 por causa do espaço interno.
      A única coisa que está pegando é esse motor 2.0, que é beberrão e não é moderno como do J3 e J5, usa inclusive correia dentada e não corrente.

      Excluir
  5. Tenho uma J6 sou de Brasília, viajei 11000km só no final de ano, com seis pessoas mais um jet bag (bagajeiro) em cima do carro e que espetáculo de carro, se enfiar o pé anda bem, bebe bem aos 180 km, mas muito confortável, fiz revisões em Fortaleza, fui muito bem atendido, e no retorno a Brasília fiz a revisão dos 11000km eles me deram total apoio e um ótimo atendimento.

    ResponderExcluir