quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

QUINZE DIAS COM O JAC T6


Rodamos 15 dias com o SUV chinês simulando situações de uso cotidiano e comparando-o com outros modelos com mesmo perfil e preço quanto à manutenção preventiva e custos de reparação e seguro

Por Maximiliano Moraes



Apesar do mercado em recessão e das vendas abaixo do previsto, o T6 se tornou o queridinho da JAC no país, como era de se esperar. Roubando o posto do J3 Turin como o modelo mais vendido da marca no Brasil em 2015, é dele o projeto e o design mais moderno, além da dirigibilidade mais acertada. Com a J6 ele divide o melhor motor da JAC por aqui e com o T8 o melhor acabamento. Só ele, além disso, ostenta equipamentos exclusivos como a central multimídia com espelhamento, a direção com assistência elétrica, o acendimento automático de faróis e o sistema Isofix no banco traseiro.


Central multimídia com espelhamento só está presente na versão de topo

Tem defeitos, claro. Paradoxalmente, apesar de ser bom de curva a suspensão é macia demais na hora de enfrentar estradas ruins e os amortecedores "dão batente" muito facilmente, enquanto a direção elétrica, muito macia em manobras, poderia ficar mais pesada em velocidade. O marcador digital de combustível é muito impreciso, a qualidade sonora do sistema de áudio não é das melhores e o sistema de acendimento automático dos faróis é sensível demais. Colocando prós e contras na balança, porém, a conta fecha com bônus para o SUV chinês.



Mas em um segmento tão competitivo como este é essencial avaliar o que os concorrentes têm a oferecer para saber se o T6 é realmente uma boa compra. A JAC usa a quantidade de itens de série e o porte de SUV médio como principais argumentos de venda. Durante os 15 dias que ficamos com o carro no mês de dezembro as perguntas que mais ouvimos foram relacionadas ao custo x benefício, o que nos trouxe a pergunta: será que são tantos itens e tanto espaço a mais?


Espaço é argumento forte de venda; porta-malas leva 610 litros

A JAC pede R$ 69.990,00 pelo T6 de entrada. A unidade que testamos é mais completa que a versão de entrada; a configuração do site não traz rodas de liga leve, acendimento automático de faróis, câmera de ré, maçanetas cromadas, barras de teto, retrovisores com rebatimento elétrico e piscas na carcaça, chave-canivete, faróis ou lanternas de neblina, volante multifuncional ou frisos laterais. Na prática e com negociação, porém, as concessionárias vendem a versão intermediária, que tem tudo isso, por preço próximo à da versão de entrada. Central multimídia com espelhamento e outras firulas estão reservadas à versão de topo, que custa R$ 10 mil a mais.


Renault Duster Dynamique 1.6 16v tem mesmo preço do JAC T6 "de entrada"

Exatamente o mesmo valor compra a versão Dynamique 1.6 16v do Renault Duster, que vem sempre com câmbio mecânico de 5 marchas - a exemplo do T6. Em comum com o JAC ele traz trio elétrico (vidros/travas/retrovisores), computador de bordo, central multimídia com câmera de ré, coluna de direção e banco do motorista com ajuste de altura, volante multifuncional, rodas de liga leve, faróis de neblina, piscas nos retrovisores, ar condicionado, alarme e 3 apoios de cabeça no banco traseiro. O T6 leva vantagem com freios a disco nas 4 rodas, faróis com ajuste de altura e sistema Isofix, enquanto no Renault o computador de bordo é mais completo e a central multimídia, além de mais intuitiva, conta com GPS.


Acabamento do Duster melhorou, mas aura emergente não foi totalmente desfeita

O porte do Duster é parelho ao do T6. Nele, 5 ocupantes se acomodam bem e há espaço para bons 475 litros de bagagem. A distância entre-eixos é até maior que a do JAC, com 2,67 m. Mas todas as dimensões restantes são mais generosas no modelo chinês, o que resulta em mais espaço para cabeça, pernas, ombros e bagagem - o T6 leva 610 litros. Além disso, ainda que não haja consenso em relação à quantidade de cromados na cabine - alguns acham estiloso, outros exagerado -, há mais refinamento e cuidado na montagem ali. A Renault trabalhou para melhorar materiais e layout geral na cabine do Duster, mas a aura de modelo emergente não se desfez totalmente.


Jeep Renegade 1.8 16v manual é versão de entrada da linha, mas tem boa lista de itens de série

Acabamento e qualidade de montagem são o forte do Jeep Renegade, outro modelo que consideramos. A versão mais em conta, Sport com câmbio manual, custa só R$ 3 mil reais a mais e traz lista de equipamentos de série interessante. Em comum com ambos ele traz trio elétrico, alarme, piscas nos retrovisores, 3 encostos de cabeça no banco traseiro, volante multifuncional, ar condicionado, faróis de neblina, rodas de liga leve, banco do motorista com regulagem de altura e computador de bordo. Ele e o T6 trazem lanternas de neblina, Isofix, freios a disco nas 4 rodas e direção elétrica. São itens exclusivos do Jeep piloto automático, controles de tração, estabilidade e anti-capotamento, freio de estacionamento elétrico, assistente de saída em rampas e coluna de direção ajustável em altura e profundidade. E só ele não tem câmera de ré, substituída por sensores de estacionamento traseiros, e central multimídia.


Motor 1.8 16v do Jeep foi retrabalhado para oferecer mais torque, mas relação peso x potência é desfavorável

O motor do Renegade fica num meio-termo entre o do T6 e do Duster quanto à potência e torque, mas por ser muito pesado o desempenho não é dos melhores. É dele a pior relação peso x potência, com 10,55 kg/cv contra 10,45 kg/cv do Renault e 9,12 kg/cv do JAC. Ele também é o mais compacto, com as menores dimensões em todas as direções e porta-malas de hatch compacto, com parcos 260 litros. Nele, 4 ocupantes vão mais confortáveis do que 5, e que tenham pouca bagagem.

Até aqui o T6 parece a melhor opção de compra. É maior, tem melhor desempenho geral e lista de equipamentos parelha, com exclusividades. Mas na hora de manter o carro o jogo vira. Isso, porque apesar de ter a maior garantia dentre todos os SUVs vendidos aqui, em seu segmento ou não, os preços das revisões do JAC não são dos mais acessíveis. Fizemos ainda uma cesta de peças com os itens que costumam ser mais danificados em acidentes de trânsito: farol, lanterna, capô, para-lama dianteiro, para-choque traseiro, e retrovisor esquerdo. Também consideramos os valores fixos de revisões até 60 mil km, sendo 6 obrigatórias para Duster e T6 (de 10 em 10 mil km) e 5 para o Renegade (de 12 em 12 mil km).

PEÇAS

JAC T6 2.0 16v JetFlex

Farol - R$ 1.516,83
Lanterna (dividida em 2 partes) - R$ 521,75 (canto) e R$ 574,99 (tampa)
Capô - R$ 2.423,51
Para-lama dianteiro - R$ 1.270,50
Para-choque traseiro - R$ 1.197,90
Retrovisor esquerdo - R$ 638,88
Total - R$ 8.144,36

Renault Duster 1.6 16v Dynamique

Farol - R$ 805,00
Lanterna - R$ 270,00
Capô - R$ 811,00
Para-lama dianteiro - R$ 382,00
Para-choque traseiro - R$ 867,00
Retrovisor esquerdo - R$ 270,00
Total - R$ 3.405,00

Jeep Renegade Sport 1.8 16v Flex Manual

Farol - R$ 970,00
Lanterna - R$ 269,00
Capô - R$ 3.100,00
Para-lama dianteiro - R$ 1.527,00
Para-choque traseiro - R$ 2.049,00
Retrovisor esquerdo - R$ 443,00
Total - R$ 8.358,00


Preços mais altos de faróis e lanternas do T6 são justificáveis pela maior complexidade das peças

São justificáveis, no caso da T6, os valores cobrados por faróis (com projetores elipsoidais e ajuste de altura) e lanternas (de leds), considerando que são mais complexos que os usados no Duster e no Renegade. Por outro lado, é assustador verificar que alguns preços de peças que, em tese, não têm mais uso de material ou complexidade de manufatura, chegam a ser 4 ou 5 vezes maiores.



REVISÕES

JAC T6 2.0 16v JetFlex

10.000 km - R$ 525,00
20.000 km - R$ 800,00
30.000 km - R$ 975,00
40.000 km - R$ 1.185,00
50.000 km - R$ 1.185,00
60.000 km - R$ 1.130,00
Total - R$ 5.800,00

Renault Duster 1.6 16v Dynamique

10.000 km - R$ 489,00
20.000 km - R$ 559,00
30.000 km - R$ 489,00
40.000 km - R$ 706,00
50.000 km - R$ 489,00
60.000 km - R$ 559,00
Total - R$ 3.291,00

Jeep Renegade Sport 1.8 16v Flex Manual

12.000 km - R$ 373,02
24.000 km - R$ 722,52
36.000 km - R$ 809,52
48.000 km - R$ 730,02
60.000 km - R$ 993,52
Total - R$ 3.628,60


Renegade é o único com intervalos de revisões de 12 em 12 mil km

Duster e Renegade são vendidos com 3 anos de garantia sem limite de quilometragem, enquanto o T6 traz 6 anos. Garantia em dobro, gasto exponencialmente maior.

Por último, verificamos os valores de seguro cotados para um motorista com 40 anos, garagem fechada em casa e no trabalho, 2 filhos pequenos, uso diário e preferencialmente na região de Campinas (SP). Outra vez o Duster sai na frente quando o assunto é seguro, mas é do Jeep a apólice mais cara.

SEGURO

JAC T6 2.0 16v JetFlex

Apólice - R$ 4.572,95
Franquia - R$ 4.831,00

Renault Duster 1.6 16v Dynamique

Apólice - R$ 2.718,29
Franquia - R$ 3.220,00

Jeep Renegade Sport 1.8 16v Flex Manual

Apólice - R$ 5.112,43
Franquia - R$ 4.491,00


Apólice do Duster custa quase a metade da cobrada pela do Renegade

São 3 SUVs com preços semelhantes mas perfis bem diferentes, concluímos. O melhor custo x benefício é do Renault Duster Dynamique 1.6. A lista de equipamentos é boa, a oferta de espaço é suficiente para uma família e o desempenho é satisfatório, sendo ainda o mais barato para manter, reparar e segurar. O Jeep Renegade Sport manual aparece como opção para quem escolhe SUV por uma questão de estilo e status, com itens de série mais tecnológicos do que práticos - ainda que redundem em mais segurança. A manutenção tem preço aceitável, mas ele anda menos e é caro para reparar e segurar.


Duster tem melhor custo x benefício; Renegade é para quem preza estilo e tecnologia; T6 tem melhor desempenho e é a opção da família

O JAC T6, por sua vez, é a opção da família. Como o Jeep, é caríssimo para reparar e os valores de manutenção periódica assustam, mas o seguro não é o mais alto - o que ajuda bastante na questão da substituição de peças. Também é o que oferece o melhor desempenho, a maior oferta de espaço e uma lista de itens de série capaz de agradar a todos os gostos.

Fotos: Maximiliano Moraes / Divulgação

2 comentários:

  1. Excelente material, parabéns. Citam pontos importantes para diversos perfis de consumidores no mesmo segmento.

    ResponderExcluir
  2. vou esperar uma oferta de usados do T6

    ResponderExcluir