sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

JAC J6 EVOLUI E SUPERA NISSAN GRAND LIVINA



Direto ao ponto: no último comparativo do RACIONAUTO entre minivans com 7 lugares a Nissan Grand Livina levou a melhor pelo conjunto da obra, não perdendo em nenhum quesito e superando as rivais em desempenho, segurança, design interno e conforto de rodagem. A JAC J6 ficou em segundo lugar, surpreendendo em espaço, praticidade e design externo. A Chevrolet Spin ficou na lanterna, vencendo apenas no quesito custo x benefício.


A JAC Motors, veloz como sempre, renovou o visual da J6 com pouco mais de 2 anos de mercado. O resultado agradou: as mudanças externas resultaram num visual mais requintado e por dentro ela ficou muito mais bonita, moderna, bem acabada e equipada. Ainda que tenha mudado pouco na parte mecânica - foram ajustados somente a direção e o câmbio, com melhora também no revestimento acústico -, ela continua sendo uma minivan agradável de dirigir, com desempenho adequado à proposta. Será que, renovada, ela se tornou páreo para o modelo da Nissan?


A disputa foi apertada, mas já adiantamos o resultado: sim, a nova JAC J6 Diamond ficou melhor que a Nissan Grand Livina SL. E você vai saber por quê.


Espaço


Não há o que discutir: maior em todas as dimensões, a J6 acomoda melhor tanto os ocupantes da frente quanto os passageiros das 2 fileiras de trás. E não é só: com bancos individuais, é mais fácil configurar o espaço para carga, sem prejuízo para quem precisar ir junto. Esses mesmos assentos, aliás, podem ter os encostos simplesmente dobrados, podem ser erguidos ou totamente retirados um a um, formando um salão que é suficiente para uma pequena mudança.



A Grand Livina não é apertada, está longe disso. O acesso à última fileira, inclusive, é melhor que na J6. Mas por ser mais estreita, a Nissan oferece menos espaço para os ombros na frente, enquanto na segunda fileira o assento do meio está mais para "meio-assento". A modularidade também é suficientemente boa: os bancos podem ser inteiramente dobrados, formando um assoalho plano que facilita a colocação de bagagens, mas não podem ser retirados. Além disso a fileira do meio pode ser rebatida somente em 1/3 ou 2/3 e a última só pode ser rebatida por inteiro. O espaço de carga também é menor.



J6 1 x 0 Grand Livina



Conforto



Um dos quesitos mais disputados deste comparativo. Sabendo que conforto não se mede apenas pelo espaço disponível, foi preciso colocar na balança ainda a posição de dirigir de cada minivan, junto com a capacidade de filtrar imperfeições em ambiente urbano, as características de rodagem na estrada, o silêncio a bordo, a manobrabilidade e os itens de conveniência.



A posição de dirigir é boa em ambas, que trazem apoio de braço (com porta-objetos na chinesa), espaço suficiente para as pernas e de sobra para a cabeça - os ombros vão mais folgados na JAC. Apesar de não ter regulador de altura para o banco do motorista, porém, a Grand Livina oferece um ajuste mais próximo ao de um carro de passeio comum, enquanto a J6, mesmo com ajuste duplo de altura do assento, guarda a posição de dirigir típica de minivan. Ao volante, a Grand Livina acabou se saindo melhor na cidade. A suspensão, menos permissiva, tem melhor compromisso entre agilidade e conforto. O câmbio automático, apesar de só ter 4 marchas, trabalha bem e contribui tanto para o silêncio à bordo quanto para a comodidade da perna esquerda no trânsito urbano. A J6 Diamond deu o troco na estrada: o câmbio mecânico não incomoda porque não é preciso tantas trocas. Além disso, por ter suspensão mais macia ela é menos cansativa - na cidade ela filtra bem as imperfeições, mas a suspensão é ruidosa.  



O sistema de direção elétrica da Nissan é melhor em manobras, exigindo menos esforço, mas a JAC compensa com o sensor de estacionamento, indisponível na concorrente. O ar condicionado de ambas é automático e digital, mas só a J6 conta com saídas para o banco traseiro e seu compressor é mais eficiente, gelando a cabine em menos tempo. Além disso, só a chinesa traz one-touch para subirem e descerem todos os vidros (a Grand Livina tem o recurso só para descer o do motorista), sensor de luminosidade, comandos do áudio no volante e entrada USB no painel. A mais, a japonesa traz somente a chave presencial, mas isso não é suficiente para quebrar a superioridade da J6.



J6 2 x 0 Grand Livina



Desempenho



Assim como da primeira vez, a Grand Livina continua levando a melhor sobre a J6. Graças à boa relação peso x potência x torque (1.306 kg / 126 cv / 17,5 kgfm), a minivan da Nissan consegue resultados impressionantes, mesmo com câmbio automático sem trocas sequenciais. É bom lembrar que nossas medições são feitas sem equipamentos aferidos, mas ainda assim o resultado de nossa verificação foi excelente: usando cronômetro comum, em asfalto de boas condições e trecho plano, a Grand Livina conseguiu acelerar de 0 a 100 km/h (no velocímetro) em 10,4 segundos, enquanto a J6 demorou 13,2 segundos para fazer o mesmo. O câmbio automático assegurou também retomadas mais ágeis para a Nissan. A JAC J6, com sua transmissão mecânica e uma relação peso x potência x torque menos privilegiada (1.500 kg / 136 cv / 19,1 kgfm), tem bom desempenho para o segmento tanto na cidade quanto na estrada, mas não consegue superar a concorrente.



J6 2 x 1 Grand Livina



Segurança



Outra disputa acirrada. As minivans têm comportamento muito distinto em retomadas, curvas e frenagens. O dueto câmbio automático + motor competente garante retomadas mais rápidas para a Nissan, mas a JAC não chega a decepcionar: basta reduzir e enfiar o pé que ela responde. Nas curvas a J6 aderna mais a carroceria, mas uma vez apoiada ela se torna neutra e mantém a trajetória sem desvios. Já a Grand Livina é mais arisca; aderna menos mas a roda traseira interna à curva tende a perder contato com o solo. Ambas freiam bem, com os sistemas outra vez trabalhando de forma bem diferente. Outra vez a minivan japonesa mostra ser menos dócil, com o ABS agindo mais cedo - talvez pelo uso de pneus mais finos (185/65) e menos aderentes - mas percorrendo um espaço de frenagem menor. A chinesa, que conta com discos nas 4 rodas, é mais progressiva e suave, com o ABS demorando mais a acordar e os pneus 205/55 ajudando na aderência, mas o peso extra se faz sentir nas frenagens e a arrasta por um pouco mais de espaço.



Por outro lado, a lista de equipamentos de segurança é maior na J6. Além do que a Grand Livina também oferece - ABS com EBD, airbag duplo, travamento automático das portas, trava de crianças, alarme e cintos de segurança de 3 pontos para 6 ocupantes (o central da fileira do meio é abdominal em ambas) -, ela traz apoios de cabeça retráteis e ajustáveis para 7 passageiros (a Nissan só tem 6), sensores de estacionamento, ajuste elétrico de altura dos faróis e sensor de pressão dos pneus.



Apesar da vitória no quesito, porém, a JAC precisa revisar uma falha. Novidade na linha, o sensor de pressão de pneus funcionou muito bem durante a avaliação e foi graças a ele que notamos a diferença que há entre a indicação da pressão recomendada no adesivo fixado na coluna da porta do motorista e a indicada no manual. Com as 32 libras recomendadas no adesivo, o sensor acusou erro na calibragem; com as 35 descritas no manual a luz-espia se apagou.



J6 3 x 1 Grand Livina



Praticidade / Ergonomia



Por definição, minivans precisam ser práticas e facilitar a vida dos ocupantes durante as viagens. A J6 se destaca em alguns aspectos, a Grand Livina em outros e ambas atendem bem.



Não há o que reclamar de nenhuma delas quanto à ergonomia, já que os comandos são todos facilmente acessados. Mas a JAC J6 tem mais porta-trecos que a Nissan Grand Livina. Ambas têm apoios de braço, mas só o da chinesa é também um porta-objetos. O banco central da fileira do meio da J6 se dobra e forma uma mesinha com 2 porta-copos e bandeja. Seus bancos, como já foi citado, permitem mais configurações e melhor aproveitamento do espaço, que já é naturalmente maior. Por fim, os controles do rádio no volante facilitam a troca de estações ou faixas do CD ou pendrive (sim, a JAC corrigiu esse problema e adicionou uma entrada USB padrão no painel).



A Grand Livina também tem seus trunfos. A chave presencial facilita muito a abertura e fechamento das portas, e isso conta pontos quando se anda com o carro cheio a maior parte do tempo. O fato de ter câmbio automático também a torna mais adequada para o trânsito urbano. E mesmo que a J6 tenha mais possibilidades de arranjos nos assentos, retirá-los é um trabalho mais pesado do que o ato de apenas rebater os bancos na Nissan, caso seja preciso usar mais espaço para carga. Fato interessante é que ambas precisam ser conduzidas com cuidado ao passar por valetas, por motivos diferentes. A J6 raspa facilmente a dianteira, pela maciez e pouca altura da suspensão, e a Grand Livina raspa a traseira, pelo grande balanço traseiro. Acabamos tendo um empate.



J6 4 x 2 Grand Livina



Design externo / Design interno



A Grand Livina venceu o quesito 'design interno' no último comparativo por combinar um painel mais simétrico com a sensação de requinte gerada pelo bom acabamento e esquema de cores. A J6, que tinha um interior bem impessoal e pecava pela falta de requinte, ganhou quanto ao design externo. Mas agora ela superou seu ponto fraco - o interior - e, de quebra, melhorou o que era bom - o exterior: acabou virando o jogo e superando o modelo da Nissan. Frente a frente com a minivan chinesa, a Grand Livina, com design comportado desde o lançamento, deixa claro que carece de uma renovação nas linhas.



J6 5 x 2 Grand Livina

Custo x benefício



JAC J6 Diamond e Nissan Grand Livina SL são vendidas exatamente pelo mesmo preço: R$ 59.990,00. O custo de manutenção até 60 mil km também é semelhante, bem como a média de preço de seguros (*), que chegou a um empate técnico: para um morador do centro de São Paulo, casado e com 40 anos, os valores chegaram a R$ 2.267,05 para a J6 e R$ 2.268,61 para a Grand Livina. A minivan japonesa leva vantagem pela menor desvalorização: pela tabela Fipe, uma Grand Livina SL 2011 tem hoje preço médio de R$ 42.444,00 (depreciação de 29,25% em 2 anos), enquanto uma J6 Diamond 2011 é cotada por R$ 38.035,00 (36,60% menos no mesmo período). A liquidez da Nissan também é melhor, considerada a desconfiança ainda existente do mercado em relação a modelos chineses. A J6 elimina parte desta vantagem por ter garantia bem mais longa (6 anos, contra 3 da Nissan) e trazer muito mais equipamentos pelo mesmo preço. Ao fim, outro empate.



J6 6 x 3 Grand Livina




Resultado



A pontuação não deixa dúvidas: a JAC J6 Diamond é um produto melhor que a Nissan Grand Livina SL. Fica devendo ainda o câmbio automático, extremamente requisitado nesta categoria de veículo, bem como um ajuste melhor de suspensão. Mas grande parte dos defeitos do modelo anterior foi solucionada nesta versão. O mercado de minivans no Brasil pode ser pequeno, mas tem seu público cativo. E a J6, hoje, é a melhor opção nesta faixa de preço.



(*) Média de preços de seguros calculada entre as cotações da Sulamérica e Porto Seguro.

11 comentários:

  1. Comprei um J6 mod 2012 e tive uma enorme dor de cabeça para vender.Nenhuma concessionária pagava um vslor justo para troca.
    A desvalorização foi tremenda mesmo o carro estando com 11 mil rodados em estado de O.K.
    Chinês nunca mais!

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho desconfianças contra a JACa. Não arrisco o meu dinheiro. Preconceito, é, mas fazer o que. Compro carro de 4 em 4 anos. Prefiro algo com mais certeza do que a dúvida.

    ResponderExcluir
  3. tenho um j6 e comprei sabendo da desvalorização. pesquisei muito o mercado dessa categoria e é normal a desvalorização de minivans de qualquer marca. se vc for comprar para revender não compre de nenhuma marca. o q olhei muito foi o custo beneficio conforto, segurança,beleza e garantia. a minha esta com 18.000 km

    ResponderExcluir
  4. Tenho uma J6 ainda do primeiro modelo e não troco por modelos da Nissan nunca. J6 é muito mais carro, suspensão independente, freio a disco nas 4 com ventilados na frente. Infelizmente o mercado é burro, se não fosse não comprariam gol a 50k.

    ResponderExcluir
  5. Excelente comparação! Fiquei com surpresa que o J6 melhorou e está superando o Grand Livina. Estava pensando comprar um Grand Livina, mas agora estou em duvida. Claro o seguinte é muito individual, mas para me o desempenho do motor tem muita influência e está fundamental para um carro, mas em esta comparação este não peso tanto parece. Já entrei um Grand Livina e posso ver que a porta-malas está bem mais regular no Livina do que no J6, onde a porta-malas não está tão plano e regular (as compras do supermercado vão cair entra os bancos parece e tudo pode virar uma bagunça. O teste está comparando um J6 com caixa manual e um Grand Livina com caixa automática. Seria melhor se o teste foi feita com um Grand Livina com caixa manual também. O preço do Grand Livina com caixa manual parece bem menor do que o preço do J6, e com esta diferencia há talvez ~ 5.000 para comprar itens adicionais. Bom, como Vocês talvez possam sentir estava tão animado com o Grand Livina, mas com certeza vou precisar fazer um test-drive com o J6 para ver, se fiquei com preconceito do J6!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O comparativo foi realizado com base nos valores das versões top de linha de ambos os modelos, que é exatamente o mesmo. Como a JAC J6 não dispõe de transmissão automática nem como opcional, compará-la com a Nissan Grand Livina com câmbio mecânico seria colocar frente a frente 2 modelos com grande diferença no nível de equipamentos e acabamento, o que seria injusto. Além disso, a Nissan não trabalha com opcionais separados; para adquirir mais equipamentos é preciso comprar uma versão mais cara - no caso, justamente a SL testada. No caso do porta-malas, conforme foi explicado na reportagem, a J6 permite que todos os bancos sejam completamente retirados, formando um assoalho plano que permite a melhor acomodação da bagagem.

      Excluir
  6. É assim quem compra carro, se não quiser desvalorização, que não compre carro nemhum.

    ResponderExcluir
  7. disse tudo colega. J6, o meu tá chegando esse mês.

    ResponderExcluir
  8. gostaria de entender pq nao so a JAC mas todos os outros fabricantes chineses querem entrar na briga com marcas estabelecidas em segmentos relativamente altos sem oferecer CAMBIO AUTOMATICO. Alguem sabe explicar isso? Chines não gosta de cambio automatico? Carros no segmento SUV como os da LIFAN E CHERY sem cambio automatico, nao da por abrigar nem com uma duster....

    ResponderExcluir
  9. Como o J6 ganha no conforto? A terceira fileira vc não pode ter pernas pois o banco fica um pouco atrás da roda assim as pernas ficam em cima da roda fazendo que vc tenha que colocar o joelho nos peitos pra poder se acomodar naquele lugar, se o motorista tiver mais que 1,75 de altura a fileira do meio também já era... Realmente vcs tentaram se acomodar na terceira fileira???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia. Os resultados de nossas avaliações não são suposições. Todos os carros que testamos são submetidos ao mesmo tipo de medições, incluindo ergonômicas. Todas as fileiras foram ocupadas por pessoas de diferentes estaturas, incluindo este que escreve (com 1,90 m de altura). Em todas as medições de espaço a J6 é superior à Grand Livina, sendo mais larga, mais alta, com mais espaço para as pernas e ombros em todas as fileiras. Isso foi, inclusive, aferido com lotação total em ambos os modelos.

      Excluir