quinta-feira, 1 de setembro de 2016

CHEVROLET ONIX ACTIV ENFRENTA RENAULT SANDERO STEPWAY RIP CURL



O Onix Activ é o primeiro compacto com visual aventureiro-urbano da Chevrolet no país. Há quem diga que não, que outras séries especiais e versões já vieram antes, mas tudo não passava de estética - plástico aqui e ali, emblemas e adesivos, nenhuma alteração mecânica. No Onix Activ o trabalho foi bem mais pesado: além de ter ganhado enfeites com essa pegada, que ficaram bem bacanas na carroceria nova, ele recebeu as mesmas alterações no motor, na estrutura e no gerenciamento eletrônico de toda a linha.



A suspensão seguiu caminho oposto, por motivos óbvios. Em vez de rebaixada, como aconteceu com os novos Onix e Prisma, ela foi elevada em 3 cm - ou 2, em comparação com as versões antigas. O acerto é exclusivo, com molas e amortecedores recalibrados, enquanto os pneus têm perfil comum e medida 195/65 R15 - os irmãos calçam pneus de baixa resistência ao rolamento. Ficou na medida, nem tão dura que prejudique o conforto e nem tão suave que deixe o carro molenga em curvas, e, de quebra, ainda filtra melhor a buraqueira do asfalto do que o hatch e o sedã.


A tarefa do Onix Activ não é simples: cativar um consumidor bem servido de opções há anos. Uma das opções mais em conta, não por acaso também uma das mais vendidas, é o Renault Sandero Stepway, que veio pra gente na versão (ou série especial, vai saber) Rip Curl com câmbio manual. Como o Onix Activ que veio para o comparativo tinha câmbio automático de 6 marchas não vamos considerar as diferenças de desempenho e ambos receberão a mesma pontuação.


Não custa pontuar: o vencedor de cada quesito ganha 1 ponto e o perdedor, nenhum. Todas as impressões foram obtidas em circuitos mistos, variando entre cidade, rodovias e estradas secundárias entre a cidade de São Paulo e a região de Campinas. Os dados de desempenho são fornecidos pelas próprias fábricas, enquanto os dados de consumo são verificados tanto nos computadores de bordo, caso disponíveis, quanto pelo método "tanque-a-tanque" (com abastecimento sempre no mesmo posto de combustível e mesma bomba). Sempre avaliamos os carros com os combustíveis com os quais vieram abastecidos, motivo pelo qual as médias podem sofrer variações grandes entre um modelo e outro.

DESIGN


Nada como um face-lift pra melhorar um carro. A roupa aventureira caiu como uma luva para o Onix remodelado e o deixou bem bonito, especialmente na cor Laranja Burning - questão de gosto, claro. Há outras 5 cores mais sem graça discretas no catálogo. O interior copia a exclusividade do exterior, combinando o habitual preto com doses bem generosas de laranja no painel, portas e bancos. A concorrência prefere manter a discrição dos modelos comuns nos aventureiros, modificando pouca coisa na cabine - revestimento dos bancos aqui, um bordado ali, um emblema acolá.


É exatamente o que acontece com o Sandero Stepway. A versão Rip Curl é um pouco mais descolada, trazendo bancos com revestimento exclusivo, detalhes em vermelho e bordado alusivo à série, repetido no volante. O aro externo do velocímetro também é vermelho e o nome Rip Curl está nas laterais do carro. Só. A parte externa é mais bacana, talvez o visual que caia melhor para o Sandero, e desde que foi remodelado ele se tornou mais bonito, parrudo e com melhor acabamento geral. Mas fica difícil concorrer com o Onix Activ quando o "fator novidade" é justamente um dos que mais atrai o tipo de consumidor que compra aventureiros urbanos.

Onix 1 x 0 Sandero

DESEMPENHO E CONSUMO


O Onix Activ que testamos veio com câmbio automático sequencial de 6 marchas e abastecido com gasolina. O Sandero Stepway Rip Curl, com câmbio manual de 5 marchas e abastecido com etanol. Por isso cabe aqui citar apenas o comportamento de cada um, sem comparações.

Não dá pra esperar milagres do motor 1.4 Flex que empurra o Onix Activ. A potência é suficiente (até 106 cv com etanol), mas a oferta de torque é baixa e o pico só chega em rotação muito alta (13,9 kgfm a 4.800 rpm). Só que o trabalho da GM nos sistemas de gerenciamento eletrônico e elétrico, no sistema de arrefecimento, a mudança do óleo lubrificante e os novos pistões, bielas e anéis deixaram o motor bem mais "redondo" que antes, com funcionamento menos áspero, mais silencioso e bem mais econômico. É como se fosse mais forte mesmo sem ser.

Motor 1.4 Flex do Onix Activ rende 106 cv e 13,9 kgfm de torque a 4.800 rpm

O câmbio automático também foi recalibrado e agora está mais suave nas trocas, apesar de ainda um pouco indeciso nas reduções - olha aí, culpa da falta de torque. Por outro lado as trocas ascendentes agora acontecem sempre em rotações mais baixas, numa faixa que privilegia o consumo (conseguimos média superior a 15 km/l em uso misto) sem comprometer as arrancadas e retomadas na maioria das situações cotidianas. E quando for preciso mais força, basta pisar que o câmbio joga a rotação para perto das benditas 4.800 rpm. Grita, mas é só nessa hora. A aceleração de 0 a 100 km/h é feita, segundo a Chevrolet, em 12,8 segundos.

O Sandero Stepway anda bem melhor com câmbio manual do que com o automatizado Easy'R, que é, aliás, um dos piores que já experimentamos. As trocas de marchas na transmissão manual nunca foram as mais ágeis do segmento, mas parece que a Renault recalibrou o sistema para, pelo menos, deixar a alavanca mais leve. Ficou bom, desde que não se queira uma tocada esportiva - que nem é a dele. Dirigindo de boas conseguimos superar os 10 km/l usando etanol em percurso misto.

Potência exatamente igual (106 cv), torque maior (15,5 kgfm a 2.800 rpm), desempenho apenas mediano e amortecedor no capô do Sandero Stepway Rip Curl

O motor oferece exatamente a mesma potência que o do Chevrolet (106 cv com etanol), mas o torque é maior (15,5 kgfm) e chega em rotação bem mais baixa (2.850 rpm). Isso, em tese, deveria deixar o Renault bem mais desenvolto, mas na prática não é o que acontece - talvez por ter quase 30 kg a mais que o Onix. A aceleração de 0 a 100 é cumprida em cerca de 13 segundos e as retomadas são mais lentas, como é comum a todo câmbio manual, mas pelo menos não são necessárias reduções o tempo todo para manter o carro embalado.

Onix 2 x 1 Sandero

DIRIGIBILIDADE


A coisa toda precisa começar com uma boa posição de dirigir, mas nenhum dos dois é referência nisso. Ambos têm colunas de direção regulável somente em altura e ambos mantêm os bancos altos mesmo na posição mais baixa do assento. Essa característica faz o Onix ter menos espaço para a cabeça, sendo que motoristas mais altos quase a raspam no teto, e neste caso a visibilidade também se torna ruim porque o retrovisor interno, muito baixo, fica bem no rumo dos olhos. O Sandero é mais espaçoso e, por isso, não oprime o motorista na hora de o acomodar.

Interior do Rip Curl tem padronagem diferente do Stepway "comum" e plásticos ainda dominam

Fazer curvas não é problema para nenhum deles. O Sandero é mais macio e rola mais, mas uma vez apoiado ele faz o contorno sem drama. Os pneus mais largos, as rodas com aro 16 e maiores largura e distância entre-eixos também contribuem para a boa dinâmica do Renault. Sendo mais alto, ele também passa por obstáculos com mais facilidade e a suspensão filtra melhor as imperfeições. Por outro lado os bancos têm pouco apoio lateral e deixam o motorista escorregar de um lado para outro em curvas mais fechadas.

Onix Activ traz interior extravagante em preto e laranja, com acabamento geral melhor que no Sandero

O Onix Activ, que ganhou acerto exclusivo de suspensão, se tornou mais firme que sua versão comum, mas continua bem equilibrado. Os bancos são mais envolventes e têm mais apoio que os do Stepway, e o sistema elétrico de assistência à direção do Onix é mais eficiente e progressivo que o do Sandero. O volante, inclusive, tem melhor pega - ambos são revestidos em couro. E ainda que neste comparativo os câmbios sejam diferentes, o Onix é melhor que o Sandero com qualquer um deles. Com câmbio manual o GM ganhou engates mais precisos e uma marcha a mais, enquanto o Renault, mesmo com ajustes, tem trocas mais pesadas. Quanto ao automático, é desnecessário falar sobre sua superioridade frente ao Easy'R. 

Onix 3 x 1 Sandero

VIDA A BORDO


O acabamento de ambos é honesto, mas o do Onix é um pouquinho mais. Isso porque o Sandero já não é mais o carro barato que costumava ser, mesmo sem ter evoluído a ponto de justificar esse aumento. A montagem melhorou, bem como a aparência, mas há plástico em tudo e nem mesmo a porta tem uma porçãozinha de tecido sequer. O Renault também tem problemas de ergonomia que já poderiam ter sido resolvidos, como os comandos dos vidros elétricos traseiros e do cruise control na parte inferior do painel.

Nível de equipamentos de ambos é bom, mas no Sandero a oferta de equipamentos exclusivos é menor...

Por outro lado, o Renault é bem equipado. Só ele tem ar condicionado automático, cruise control para ambas as transmissões (no GM só o automático tem), banco traseiro rebatível em 1/3 e 2/3 e GPS direto na central multimídia - o Onix tem, mas para utilizar é preciso ligar para a central OnStar, informar o endereço ou pedir a pesquisa para o concierge e esperar que as informações cheguem no MyLink. E não há mapa, apenas a informação de trajeto por voz e setas na tela. O Renault também traz o luxo de um amortecedor no capô em vez da tradicional vareta de suporte, coisa que muitos carros mais caros não têm.

...que no Onix, que traz uma lista de itens de série bem mais recheada

O Onix rebate com o próprio sistema OnStar, que além do concierge permite rastreamento e bloqueio do carro em caso de roubo, monitoramento em viagens e até informações sobre pressão de pneus. Também são exclusivos do Chevrolet o espelhamento de celulares pelo MyLink, vidros com comando elétrico, one-touch para as 4 portas e possibilidade de fechamento pela chave, abertura do porta-malas também pela chave, porta-óculos, sensor de chuva e câmera de ré. O acabamento é bacana e ainda que as tonalidades possam provocar discussão não há dúvida de que os arremates, costuras e encaixes sejam, de forma geral, melhores que no Renault.

Sandero leva melhor pessoas no banco traseiro e tem maior espaço no porta-malas...

Contra-ataque do Sandero vem com o espaço. A superioridade é indiscutível, inclusive porque todas as medidas são maiores: comprimento, largura, altura, entre-eixos e porta-malas. No Sandero é possível levar 5 ocupantes mais 320 litros de bagagem com tranquilidade, enquanto o Onix leva bem somente 4 - mesmo porque não há apoio de cabeça ou cinto de segurança de 3 pontos para um eventual quinto passageiro. Pelo menos eles viajam com muito mais silêncio a bordo: o isolamento acústico melhorou e o motor trabalha agora de forma bem mais suave. O porta-malas leva 280 litros.

...que o Onix, que tem 2,53 m de entre-eixos (contra 2.59 m) e leva 280 litros de carga (contra 320 litros)

Em resumo, ambos trazem itens exclusivos, mas o Onix tem mais. O Sandero oferece mais espaço para os ocupantes, mas o Onix trata melhor quem carrega. E por isso leva mais essa.

Onix 4 x 1 Sandero

CUSTO X BENEFÍCIO


É, realmente a época dos Renault baratos se foi. O Sandero Stepway tem preço inicial de R$ 57.370,00, mas esta versão, Rip Curl, custa pelo menos R$ 58.220,00. Na configuração que ele veio, com a cor especial Branco Neige (R$ 400,00) e rodas com aro de 16 polegadas (R$ 890,00) o preço sobe para R$ 59.510,00. E se o comprador quiser câmbio automatizado (R$ 3.350,00) e pintura metálica (R$ 1.400,00), este aventureiro pode ter preço máximo de R$ 63.860,00 - mais do que custa um R.S. 2.0.


O custo da manutenção periódica também já foi bem mais em conta. Somadas as revisões programadas, com intervalos previstos de 10 em 10 mil km, o valor total chega a espantosos R$ 4.184,00, sendo mais de R$ 1.700 só pela revisão de 60 mil km.


O Onix Activ tem preço inicial de R$ 57.190,00. Com a cor Laranja Burning ou qualquer outra metálica (R$ 1.550,00) e câmbio automático (R$ 5.100,00) o preço fica praticamente igual ao do Renault: R$ 63.840,00. Mas aí é que está: o preço das revisões é bem mais em conta. Entre 10 e 60 mil km os valores somam R$ 3.080,00.

Onix 5 x 1 Sandero


Foi de lavada. Não fosse o ponto atribuído ao Sandero pela impossibilidade de se comparar o desempenho de carros com transmissões diferentes o Renault teria saído do comparativo sem uma vitória sequer. Sim, a marca pode se orgulhar de ter um de seus modelos no top 10 do ranking e sem sombra de dúvidas o Sandero é um bom compacto, que oferece nível de equipamentos condizente com a necessidade da maioria dos compradores e mais espaço que os concorrentes, e é isso o que atrai.



Mas este segmento é outro e espaço nem é prioridade. O Onix Activ, além de ser novidade no mercado, leva enorme vantagem por oferecer espaço suficiente para a maioria dos usuários (ele tem o segundo maior entre-eixos do segmento, com 2,53 m) e mais equipamentos, mais segurança, mais conectividade, preços de compra e de revisões mais em conta e consumo menor. Ele vence o comparativo e dá a dica pra Renault: o Sandero precisa evoluir.

8 comentários:

  1. O onix activ ficou muito legal com novo visual, direção elétrica, cambio de 6 marchas show e com um economico motor 1.4. O sandero stepway Rip Curl é bonito e tem um motor 1.6, é maior, mais largo e mais alto. gosto desse novo modelo do onix, ficaria na dúvida, mas o custo beneficio do sandero stepway seria o direnfencial, nas promoções da Renault, o sandero stepway Rip Curl automatizado fica sempre mais barato que onix activ automático.

    ResponderExcluir
  2. Estou em dúvida entre os dois carros. Próxima semana efetuarei a compra de um dos dois, mas não sei ainda qual escolher.

    ResponderExcluir
  3. Entre os dois modelos é só ver o custo benefício! Quem oferece mais pagando-se menos. Os dois carros são bem vendidos, se você preferir um carro mais econômico prefira o onix activ, se preferir um carro maior e com um motor que apresenta um torque maior prefira o sandero stepway. Uma decisão difícil, visto que os dois carros são top demais! ficaria na dúvida, possivelmente no final de uma análise pente fino ficaria com o sandero stepway pois acho ele mais elegante!

    ResponderExcluir
  4. Apesar do onix activ trazer um motor de menor cilindrada, sendo assim mais econômico, prefiro o espaço interno do sandero stepway, o motor forte da Renault com seu visual jovem e imponente!

    ResponderExcluir
  5. Tenho um Stpyway, nada a falar só elegios, espaço interno conta muito, mala idem banco rebatíveis idem, e o exterior do novo Sandero tem uma configuração mais robusta alem de ser mais alto! Falta agora a Renaut atentar quanto aos preços, pois sempre tiveram um custo benefício atrativo, se continuar nesse rumo de preços, o novo Onix Activ irá dominar fácil esse nicho aventureiro, pois trouxe muitas novidade e o público adora novidade.

    ResponderExcluir
  6. Apesar do sandero stepway ser mais alto, mais largo, mais comprido e maior porta malas e ser mais barato, o onix activ é mais econômico, tem direção elétrica e vidros que sobem no controlo remoto e pode vir com 6 marchas. Estão na mesma nível de qualidade! ótimos carros até na hora da revenda.

    ResponderExcluir
  7. O sandero stepway tem um motor bem mais forte e interiorment é mais espaçoso, pena que a renault vem cobrando alto pela manutenção de seus carros!

    ResponderExcluir
  8. Já decidimos nossa compra e optamos pelo Renault. Design superior ao Chevrolet, estabilidade superior, espaço superior, auto falantes JBL de fábrica, nas 4 portas, MidiaNav com GPS e Bluetooth, piloto automático, altura em relação ao solo de 24 cm, conjunto óptico poderoso, com faróis incrivelmente potentes, rodar macio sobre rodas de 16", consumo de combustível aceitável: 9 km/l urbano e 13,5 em rodovias, com ar-condicionado ligado.
    Bem, lamento muito Onix Activ, mas vamos de Sandero com muito gosto!

    ResponderExcluir