quarta-feira, 11 de julho de 2012

J3 TURIN E O PONTEIRO PREGUIÇOSO



Hodômetro zerado após abastecimento e ponteiro congelado

Fora suas pequenas falhas, o JAC J3 Turin apresentava até aqui uma regularidade de funcionamento que chegava a ser chata. Mas a monotonia foi quebrada hoje por um pequeno problema no marcador de combustível: ao completar o tanque de manhã, o ponteiro não saiu do lugar, no que pareceu uma ligeira pane na boia. Pegamos estrada mesmo assim, mas com um pé atrás. Nem precisava: já nos primeiros quilômetros a boia acordou e o ponteiro voltou a trabalhar.


Posto de combustível na Rodovia D. Pedro, próximo a Igaratá (SP)

Restaurante na Rodovia Oswaldo Cruz, que liga Taubaté a Ubatuba (SP)

Só que esse mesmo marcador é bem preguiçoso, de todo jeito. Com o tanque cheio ele demora demais a se mexer. E sabe como é, perceber um problema acaba levando os olhos para outros. Calibrar o estepe, por exemplo, é difícil porque a roda fica virada para baixo. E o som, que sempre pareceu difícil de equalizar, hoje revelou sua fraqueza: falta um alto-falante atrás. Apesar de vergonhoso para um carro de teste, é falha pontual.


Encher o porta-malas do Turin hoje foi um desafio digno de recordista de montagem de Lego. Couberam 1 mala média com a extensão aberta, 2 pequenas, 1 bolsa média e 1 pequena, mais 7 edredons. Vá lá: edredons são mais fáceis de acomodar, podem ser amassados e moldados de acordo com os nichos que sobram. Mas é legal montar o quebra-cabeça para fazer caber tudo.

Igreja de N. Sra. Imaculada Conceição, Lagoinha (SP)

Rodar pelas rodovias D. Pedro e Dutra não chega a ser um desafio, dada a conservação e boa sinalização das estradas. Depois de Taubaté é que a coisa fica interessante: rodovia de mão dupla cheia de curvas, subidas e descidas que liga a cidade até Ubatuba; via secundária (BEM ruim, por sinal) que liga esta estrada até o município de Lagoinha, no alto da Serra do Mar; e trecho de estrada de terra e conservação mediana, com subidas, descidas e “costelas-de-vaca” até o sítio que seria nosso destino. A ótima suspensão do J3 Turin foi novamente posta à prova e passou com louvor, proporcionando conforto para todo mundo em retas, curvas e nos muitos buracos que enfrentou.



Amanhã é dia de levar a China pro litoral. Vamos ver como o sedã se comporta ao nível do mar e na volta, já que para baixo, todo santo ajuda.

3 comentários:

  1. O J3 Turin ta me supreendendo. Achei que seria mal acabado por ser chines, mas parece que foi um pouco de preconceito. Mas esse ponteiro preguiçoso, heim!

    ResponderExcluir
  2. O meu demorou + - 3 horas mara marcar que estava com tanque cheio, muito estranho essa sensação.

    ResponderExcluir
  3. o meu j3 hatch 12/13 tambem fez isso quando topei o tanque até a borda
    ele ficou no vermelho e depois subiu agora não quer descer.

    ResponderExcluir